Mundo

Oposição contesta resultado eleitoral

A oposição da Mauritânia anunciou ontem que vai contestar nos tribunais o triunfo atribuído pela Comissão Eleitoral a Mohamed Ahmed Ghazouani, no pleito presidencial de sábado, noticiou a BBC.

Mohamed Ahmed Ghazouani
Fotografia: DR

Aliado do ex-Presidente Mohamed Ould Abdel Aziz, Ghazouani venceu estas eleições com 52 por cento dos votos, naquela que foi a primeira transição pacífica de poder desde a independência da Mauritânia, proclamada em 1960.
Pouco depois da Comissão Eleitoral ter anunciado no domingo de manhã os primeiros resultados, vários candidatos da oposição começaram a posicionar-se, tendo Biram Dah Abeid, que somou 18,5 por cento dos votos, dito que iria contestar alegando “várias irregularidades eleitorais” que, no seu entender, configuravam um “golpe de Estado eleitoral”.
A Comissão Eleitoral rejeitou todas as alegações críticas, sublinhando a “transparência” e “tranquilidade” do pleito, socorrendo-se dos relatórios preliminares de observadores internacionais que não referem a ocorrência de qualquer “irregularidade relevante”.
Um porta-voz do Governo, por seu lado, felicitou Ghazouani, apresentando-o como o “Presidente eleito” e desejando-lhe “todo o sucesso”.
Porém, após a declaração de vitória de Ghazouani irromperam incidentes na capital do país, Nouakchott, e na se-gunda maior cidade, Nouadhibou, a única em que, segundo os resultados oficiais, Abeid ultrapassou o candidato do partido no poder.
Ghazouani foi chefe do Exército durante dez anos e posteriormente indicado para ministro da Defesa.

Tempo

Multimédia