Mundo

Pedido apoio para vítimas de ataques

A organização internacional Human Rights Watch (HRW) apelou, num comunicado enviado ontem às autoridades moçambicanas, que apoiem as pessoas deslocadas pelos ataques a aldeias remotas do norte de Moçambique.

 

O número de deslocados, que já começaram a regressar às aldeias, é incerto, mas só nas ilhas do Ibo e Matemo terá chegado a 1.500 na primeira quinzena deste mês, havendo muitos ainda nos bairros de Palma e Macomia.
No comunicado, a organização refere ainda que “as forças de segurança mobilizadas contra grupos armados” devem tratar “todos os que estão sob a sua custódia com humanidade.”
A Polícia moçambicana anunciou a 5 de Junho que nove supostos membros dos grupos que têm atacado aldeias foram abatidos durante uma operação nocturna no mato. “Resistiram à ordem de se render e de se entregarem”, disse Inácio Dina, porta-voz nacional da Polícia.
Homicídios, saque e aldeias remotas incendiadas no norte de Moçambique, têm-se sucedido desde Outubro de 2017, alegadamente cometidos por grupos de inspiração islâmica.

Tempo

Multimédia