Mundo

Polícia inicia “caça” a bandos armados

A Polícia moçambicana disse que estão em curso operações para a captura dos grupos armados que mataram dez pessoas numa aldeia remota da província de Cabo Delgado e atacaram uma patrulha militar noutro ponto da região. “As operações para a captura destes indivíduos já decorrem na região”, disse ontem o porta-voz do Comando-Geral da Polícia, Inácio Dina.

Polícia moçambicana
Fotografia: DR

Nas últimas 24 horas, grupos armados desconhecidos mataram dez pessoas numa aldeia remota da província de Cabo Delgado, norte de Moçambique, e atacaram uma patrulha militar noutro ponto da região:
O ataque aconteceu num povoado pertencente ao posto de Mucojo, distrito de Macomia, no litoral centro de Cabo Delgado. Segundo a Polícia, o grupo entrou a disparar e matou dez residentes, além de ferir outras 15 pessoas e incendiar, pelo menos, 30 casas.A emboscada a uma patrulha militar aconteceu mais a norte, junto a Pundanhar, distrito de Palma, acrescentou a polícia sem precisar as consequências dos confronto.
O último ataque tinha acontecido a 8 de Setembro, também contra um povoado do posto administrativo de Mucojo, distrito de Macomia. Três dias depois, a polícia garantiu que a situação estava “sob controlo”.
Povoações remotas da província de Cabo Delgado, situada entre 1.500 a dois mil quilómetros a norte de Maputo, têm sido atacadas por desconhecidos desde Outubro de 2017, provocando um número indeterminado de mortos, na ordem das dezenas e um número ainda maior de deslocados.
Os ataques acontecem numa altura em que avançam os investimentos de companhias petrolíferas em gás natural na região, mas sem que até agora os atacantes tenham entrado no perímetro reservado aos empreendimentos.

Tempo

Multimédia