Mundo

Presidente quer mudanças no país

O Presidente Emmerson Mnangagwa afirmou que as reformas económicas em curso no Zimbabwe serão complementadas com mudanças políticas destinadas a consolidar os valores democráticos e constitucionais do país.

Chefe de Estado zimbabweano, Emmerson Mnangagwa
Fotografia: Dr

As declarações do Presidente foram feitas durante a recepção do corpo diplomático acreditado neste país da África Austral, na sexta-feira, por ocasião do ano novo, tendo justificado o seu adiamento devido aos inúmeros compromissos e prioridades nas primeiras semanas de 2019.
Na frente política, Mnangagwa disse que está orgulhoso pelos progressos alcançados rumo à consolidação democrática e constitucional, referindo-se particularmente à realização de eleições pacíficas a 30 de Julho do ano passado.
O Presidente sublinhou que as delegações zimbabweanas continuam a manter contactos com muitos países devido ao aumento de investimentos em vários sectores económicos do país, com destaque no mineiro, agrícola, energético, turístico e das infra-estruturas.
“Para capitalizar estas novas oportunidades económicas, o meu Governo tem utilizado um caminho para transformar o ambiente de operações empresariais. Estamos a reestruturar um sistema e uma economia que foram oprimidos por sanções ilegais mantidas por muito tempo, disse o Chefe de Estado, antes de considerar que o Zimbabwe está a reconstruir um novo país.
Na vertente financeira, o Presidente disse que o Orçamento de 2019 - que tem como lema “Austeridade para a Prosperidade”, reflecte as ambições económicas para converter-se num país de renda média até 2030.
Para alcançar esta meta, Mnangagwa salientou que prosseguirá a implementação da governação inclusiva com base na estabilidade macro-económica, compromisso financeiro, desenvolvimento social e no reforço económico de toda a população.

Tempo

Multimédia