Mundo

Presidente comuta as penas de morte

O Presidente do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa, assinou a comutação de várias sentenças de morte de prisioneiros, maioritariamente de mulheres e menores, anunciou o gabinete do Chefe de Estado.

 

Presidente do Zimbabwe, Emmerson Mnangagwa
Fotografia: DR

Emmerson Mnangagwa anunciou que este procedimento facilita o esvaziamento de prisões lotadas, salientando ainda que é contra a pena de morte.
Neste momento, cerca de 100 prisioneiros estão condenados à pena de morte. Destes, os que estão detidos há mais de dez anos, viram a sentença comutada ou transformada em prisão perpétua. A última execução realizada no Zimbabwe foi em 2005, porque a partir daí mais ninguém quis ser o carrasco.
Quanto às mulheres, excepto as que se encontram a cumprir prisão perpétua, as restantes vão ser libertadas e esta medida abrangeu ainda deficientes, doentes em fase terminal e os que foram condenados a prisão perpétua antes de 28 de Fevereiro de 1998.
Cerca de 3 mil detidos entre 20 mil presos serão beneficiados com a medida, afirmou o deputado e comissário-geral prisional, Alford Mashango Dube.

Tempo

Multimédia