Mundo

Rajoelina e Ravalomanana vão disputar segunda volta

A Comissão Nacional Eleitoral Independente (CENI) de Madagáscar anunciou sábado à noite que Andry Rajoelina e Marc Ravalomanana apuraram-se para disputar no dia 19 de Dezembro a segunda volta das eleições presidenciais.

Marc Ravalomanana ameaça impugnar as presidenciais
Fotografia: DR

De acordo com aquele organismo, Rajaelina obteve 39,19 por cento dos votos contra 35,29 de Ravalomanana, enquanto o Presidente cessante, Hery Rajaonarimampianina, teve apenas 8,84 por cento dos votos. Dos 36 candidatos que se apresentaram na primeira volta, apenas seis conseguiram mais de um por cento dos votos expressos. Segundo a CENI, a taxa de participação atingiu os 54,32 por cento, superior às das eleições de 2013 onde apenas 50,72 por cento dos eleitores inscritos ocorreram às urnas espalhadas por todo o país. Estas eleições ficaram marcadas por muita contestação em relação à forma como foram organizadas, sendo uma delas o tempo que demorou até à proclamação dos resultados, precisamente dez dias. Um dos mais contestatários é Marc Ravalomanana, que já anunciou a intenção de impugnar as eleições presidenciais denunciando aquilo que diz terem sido as “numerosas irregularidades” verificadas ao longo de todo o processo, especialmente no tratamento informático dado aos resultados. O próprio Presidente cessante, Hery Rajaonarimampianina, também já anunciou a intenção de recorrer dos resultados agora anunciados sublinhando ter informações a darem conta de que membros da CENI terão sido subornados para viciar a contagem. A partir de agora decorre um prazo de nove dias para a apresentação dos recursos junto do Tribunal Constitucional devendo a segunda volta realizar-se a 19 de Dezembro caso, como se espera, estes resultados forem confirmados.

Tempo

Multimédia