Mundo

Rebeldes do grupo “3R” aceitam princípio de desarmamento

A missão da ONU na República Centro-Africana (MINUSCA) anunciou o iminente desarmamento dos rebeldes Regresso, Reclamação e Reabilitação (3R), de Abass Sidiki Mahamat, responsável pelos assassinatos de mais de 46 pessoas no noroeste, noticiou hoje a agência Xinhua.

Fotografia: DR

O grupo rebelde é também acusado de, nos seus ataques, causar um número indeterminado de feridos e deslocados. Uma nota informativa publicada na quarta-feira pelo porta-voz da MINUSCA, Vladimir Monteiro, indica que recentemente uma missão conjunta composta por  membros do Governo da RCA e da comunidade internacional visitou a região de Néliwa Niem, onde se encontrou com o líder dos 3R.

O encontro serviu para fazer um balanço do ultimato que lhe foi dado, para prender os autores dos massacres, tendo Sidiki Mahamat reconhecido a responsabilidade daqueles homens e aceitar que os mesmos sejam desarmados dentro de 15 dias

No entanto, a ONU lamenta o facto de os mesmos continuarem a cobrar impostos nos postos de controlo ilegais, contrariando o espírito do acordo de paz de 6 de Fevereiro.

Tempo

Multimédia