Mundo

Renamo acusa a Frelimo de “manobras obscuras”

O principal partido da oposição em Moçambique, a Renamo, acusou na terça-feira a Frelimo de "manobras obscuras" para tentar governar Quelimane, considerando que a decisão de afastar Manuel de Araújo do cargo de presidente do município é um "duro golpe para a democracia".

 

Fotografia: DR

"O regime continua a usar manobras para contrariar a vontade dos munícipes de Quelimane, lutando maquiavelicamente para obter pela via da secretaria o que perdeu por via do voto popular", disse o porta-voz da Renamo, José Manteigas, numa conferência de imprensa em Maputo. O descontentamento da Renamo tem a ver com a medida anunciada pelo Conselho de Ministros para afastar do cargo Manuel de Araújo, que decidiu concorrer pela Renamo a um novo mandato na liderança da cidade, numa altura em que ainda estava em funções depois de ter sido eleito pelo Movimento Democrático de Moçambique (MDM). A decisão anunciada pelo Conselho de Ministros foi tomada depois de o Tribunal Administrativo ter negado um primeiro recurso interposto pelo autarca.

 

 

Tempo

Multimédia