Mundo

Responsável da HRW expulso sem explicações

As autoridades argelinas decidiram expulsar, sem apresentar razões, um responsável da Human Rights Watch (HRW) detido recentemente à margem de uma manifestação contra o Go-verno, depois de o terem retido dez dias, anunciou ontem a ONG.

O director da HRW, Kenneth Roth, num comunicado à agência France Press, indicou que o referido cidadão, de nacionalidade marroquina, estava em Argel, integrado numa equipa para observar a situação dos direitos humanos.
“A sua detenção arbitrária e o tratamento abusivo de que foi alvo enviam a mensagem de que as autoridades não querem que o mundo esteja ao corrente das manifestações em massa por mais democracia na Argélia”, adiantou o responsável.
A HRW explica não ter divulgado antes o caso na esperança de facilitar a resolução da situação. Detido a 9 de Agosto, quando “observava” a 25.ª manifestação semanal de sexta-feira no centro de Argel, Ahmed Benchemsi esteve detido durante dez horas sem ser “autorizado a contactar ninguém”, segundo a ONG.
A Polícia confiscou o telefone e computadores portáteis, exigindo que desse a palavra-passe de acesso, o que ele recusou. A Polícia também apreendeu o passaporte, precisou a organização, adiantando que os objectos só lhe foram ontem devolvidos no aeroporto, quando foi expulso.
O activista nunca compareceu perante um procurador e foi conduzido ontem a um avião com destino a Casablanca (Marrocos) sem que em algum momento tenha sido notificado pelas autoridades argelinas das acusações contra ele ou das bases legais para o tratamento de que foi alvo, assinala a organização.
No final de Março, as autoridades argelinas detiveram e depois expulsaram um enviado especial tunisino da agência de notícias Reuters, que fazia a cobertura do movimento de contestação ao Governo que agita a Argélia desde 22 de Fevereiro. A 9 de Abril, também expulsaram o director da AFP em Argel, após recusarem renovar a sua acreditação.

Tempo

Multimédia