Mundo

Sindicatos pedem união contra a classe política

O secretário-geral da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné-Bissau (UNTG), Júlio Mendonça, pediu ontem aos trabalhadores do país que se mobilizem para garantir os seus direitos por, do seu ponto de vista, os políticos não merecerem mais a confiança do povo.

Fotografia: Dr

“Na Guiné-Bissau, os nossos políticos já demonstraram que não defendem os interesses do povo, mas sim os da classe política”, disse Júlio Mendonça aos jornalistas, à margem de um protesto de trabalhadores realizado pelas duas centrais sindicais do país, em Bissau, e que juntou cerca de cinco centenas de pessoas. Nas declarações aos jornalistas, de acordo com a Lusa, o secretário-geral salientou que o protesto não serve só para reivindicar melhores condições de trabalho para o sector público, mas também para o privado. “Porque existe exploração sistemática no sector privado, há violações graves dos direitos dos trabalhadores no sector privado, principalmente nas multinacionais de telecomunicações, por isso, o nosso apelo é para que ganhem consciência, porque só reivindicando é que vão conquistar os seus direitos”, disse Júlio Mendonça.
O sindicalista disse aos trabalhadores, que se encontram em greve, que têm de acreditar na dinâmica e coerência, porque o que os políticos estão a fazer é “conquistar mais dignidade para eles e não para os trabalhadores.”
Questionado sobre a pouca adesão ao protesto, Júlio Mendonça disse compreender a ausência de trabalhadores, mas salientou que o protesto “correspondeu às expectativas.”

 

Tempo

Multimédia