Mundo

Sul de Tripoli é palco de intensos combates

As forças leais ao Governo de Acordo Nacional (GNA) e as tropas do marechal Khalifa Haftar intensificaram nos dois últimos dias os combates no sul de Tripoli, capital da Líbia.

Forças de Khalifa Haftar estão às portas da capital líbia
Fotografia: DR

Segundo a agência AFP, mais de seis semanas após o início do ataque à cidade, Haftar e o autoproclamado Exército Nacional Líbio (ANL) continuam a enfrentar uma feroz resistência das forças do GNA, reconhecido pela ONU.
Na terça-feira à tarde, no centro da cidade ouviram-se disparos de artilharia pesada em confrontos no bairro de Salahedin, no subúrbio sul, onde as tropas pró-GNA terão ganho terreno, segundo disse o seu porta-voz Mustafa Al Mejii.
Ontem, o enviado especial das Nações Unidas para a Líbia avisou que a luta pela conquista de Tripoli pode ser o início de uma longa batalha e de um enorme banho de sangue.
Em declarações à BBC, Ghassan Salame apelou para que sejam imediatamente tomadas medidas para travar a entrada de armas no país com as quais o conflito está a ser alimentado.
Notícias recentemente postas a circular por observadores internos que acompanham esta nova fase do conflito na Líbia referem que de um lado estão a entrar no país veículos armados provenientes da Turquia para apoiar o Governo instalado em Tripoli, enquanto do outro estão a ser enviadas armas desde a Jordânia para as milícias comandadas pelo marechal Khalifa Haftar.
De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 75 mil pessoas já foram obrigadas a abandonar as suas residências e 510 morreram, enquanto nos dois últimos dias começou a faltar água em Tripoli, alegadamente por acção dos homens de Haftar que terão ocupado as estações de abastecimento e cortado o seu fornecimento. Esta nova fase do conflito líbio começou a 4 de Abril, quando as tropas de Khalifa Haftar iniciaram uma ofensiva para ocupar a cidade de Tripoli, onde está instalado o Governo reconhecido pelas Nações Unidas.

Tempo

Multimédia