Mundo

Thabo Mbeki é emissário de Ramaphosa para RDC

O Presidente sul-africano, Cyril Ramaphosa, indicou o antigo Presidente Thabo Mbeki como o seu representante para a RDC e  Região dos Grandes Lagos (CIRGL).

Cyril Ramaphosa deposita voto de confiança em Mbeki
Fotografia: DR

A notícia, que foi avançada pelo jornal “Sunday Times”, indica que Mbeki aceitou o cargo, alguns dias depois de rejeitar a mesma proposta que lhe foi feita pela ministra dos Negócios Estrangeiros, Lindiwe Sisulu.
Além de trabalhar para a estabilização política da RDC, Mbeki vai também exercer a sua influência para fazer avançar o projecto Inga III.
Entretanto, elementos das forças da ordem cercaram no fim-de-semana a residência do coordenador regional do “Ensemble” do Grande Ka-tanga, Gabriel Kyungu Wa Kumwanza, em Lubumba-shi, impedindo-o de orientar um comício.
O comício teria lugar para exigir o regresso ao país do seu líder, Moise Katumbi Chapwe, impedido pelas autoridades de depositar a sua candidatura para a eleição presidencial de Dezembro.
Uma fonte da Polícia, que falou sob o anonimato, explicou que o cerco visou prote-ger as pessoas e os seus bens, fazendo com que a residência de Kyungu não seja a cau-sa da perturbação da ordem pública.
Gabriel Kyungu Wa Kumwanza é co-fundador da UDPS, em 1982, com Tshisekedi, Kibasa Mali e Mbwa Nkiem, antigos caciques de Mobutu.
Apoiante de Laurent De-siré Kabila e presidente do partido UNAFEC, Kyungu abandonou a maioria pre-sidencial em 2015, com ou-tros seis presidentes de partidos (G7), acusando o Presidente Kabila de não querer organizar as eleições gerais em 2016.
Actualmente, é o coordenador da plataforma política “Ensemble” da antiga província de Katanga (Grande Katanga).

Tempo

Multimédia