Mundo

África deve preparar luta contra rebeldes

O Comissário da União Africana para a Paz e a Segurança afirmou ontem que os países africanos precisam de preparar-se para o regresso de cerca de seis mil  combatentes do Estado Islâmico  de antigas fortalezas do Iraque e da Síria.

União Africana quer empenho organizado dos governos contra
Fotografia: African Union Website

“O regresso desses elementos a África representa uma séria ameaça à segurança e estabilidade nacional e continental e exige intensa cooperação entre os países africanos. Há relatos de 6.000 lutadores africanos entre os 30.000 elementos estrangeiros que se juntaram ao grupo terrorista no Médio Oriente”, disse Smail Chergui.
Smail Chergui disse que os países africanos precisam de “trabalhar mais estreitamente” na área de inteligência e segurança para combater os combatentes daquele grupo que retornam a África.
O governo iraquiano declarou a vitória sobre o grupo, afastando-o das áreas que anteriormente ocupava e degradando a sua capacidade militar.
O grupo, que alegadamente recrutou lutadores de todo o mundo, perdeu territórios e a sua capacidade militar, e há temores de que a maioria dos lutadores estrangeiros se desloque para outras partes do mundo.
A frágil segurança de África, aliada às ligações do Estado Islâmico, faz do continente um destino chave para esses combatentes.

Tempo

Multimédia