Mundo

Alemanha tenta salvar acordo nuclear com Irão

Um alto diplomata alemão viajou ontem a Teerão para pressionar o Irão a continuar a respeitar o acordo nuclear de 2015, apesar da retirada unilateral e do restabelecimento de sanções por parte dos Estados Unidos, anunciou o Governo alemão.

Jens Ploetner está em Teerão
Fotografia: DR

O director político do Mi-nistério dos Negócios Estrangeiros da Alemanha, Jens Ploetner, deve encontrar-se com o chefe da diplomacia adjunto do Irão, Abbas Araghchi, para tentar salvar o acordo.
A visita ocorre depois de o Presidente iraniano, Hassan Rohani, a 8 de Maio, ter dado dois meses aos restantes signatários do acordo - Alemanha, França, Reino Unido, China e Rússia - para desenvolverem um plano que proteja o Irão das sanções norte-americanas.
“A situação no Golfo Pérsico e na região e a situação em torno do acordo nuclear de Viena é extremamente séria”, indicou o Ministério dos Negócios Estrangeiros alemão à agência noticiosa norte-americana Associated Press, numa mensagem de correio electrónico.
“Existe um risco real de escalada - inclusive devido a mal-entendidos ou a um incidente. Nesta situação o diálogo é muito importante”, adiantou.
O prazo de 60 dias indicado pelo Irão significa que a diplomacia pode tentar ainda “persuadir o Irão a continuar a cumprir (o acordo) integralmente”, disse ainda, assinalando que a Alemanha se mantém em contacto com os outros países que têm lutado para manter o acordo.
Visando impedir o Irão de obter a arma atómica, o acordo prometia incentivos económicos em troca de restrições nas actividades nucleares iranianas.
Mas a sua economia enfrenta grandes dificuldades, com a moeda em queda, desde o restabelecimento das sanções norte-americanas e apesar dos esforços dos restantes parceiros do acordo.
A tensão tem vindo a subir no Médio Oriente e recentemente a Casa Branca anunciou o reforço militar do país na região.
O Irão, que de acordo com um relatório de Fevereiro da Agência Internacional de Energia Atómica continuava a respeitar os compromissos do acordo, anunciou na segunda-feira que tinha quadruplicado a sua produção de urânio enriquecido, em-bora assegurando que se trata de urânio pouco enriquecido, salvaguardado no acordo nuclear.
No entanto, ao aumentar a produção, Teerão irá provavelmente ultrapassar em breve o limite das reservas determinado no tratado.

Tempo

Multimédia