Mundo

Furacão Dorian menos violento

O furacão Dorian que foi classificado como “catastrófico” pelo Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC) continua a atacar as Bahamas com ventos e tempestades, mas enfraqueceu ligeiramente a sua “fúria”.

Fotografia: DR

A informação foi revelada pelo National Hurricane Center, de Miami, que dá conta que os ventos do Dorian chegam a atingir os 250 quilómetros por hora.
É expectável que o furacão continue a abalar o arquipélago e que até quarta-feira se aproxime da costa leste da Flórida.
Recorde-se que cerca de 13 mil casas poderão ter sido danificadas ou destruídas pela força de ventos que atingiram os 300 quilómetros por hora à passagem do furacão pelas Bahamas, indicou a Cruz Vermelha.
O furacão atingiu, no domingo, Elbow Cay, nas ilhas Abacos no noroeste das Bahamas, país composto por 700 ilhas. O balanço das vítimas não é ainda conhecido, mas a agência Associated Press fala em casas destruídas, telhados desfeitos, carros capotados e postes de electricidade caídos.
De acordo com a Cruz Vermelha norte-americana, 19 milhões de pessoas vivem nas zonas que poderão ser afectadas pela intempérie e um número estimado de até cinco mil pessoas na Florida, Geórgia e Carolina do Sul poderão vir a precisar de abrigo de urgência em função do impacto dos ventos e chuvas.
Perante este cenário, os governadores da Geórgia e da Carolina do Sul já ordenaram a evacuação de toda a costa daqueles dois estados norte-americanos e os Estados Unidos emitiram alerta para a costa este.
No entanto, o furacão Dorian já terá feito a primeira vítima, como referem diversos meios de comunicação. Trata-se de um menino de sete anos.

Tempo

Multimédia