Mundo

Antigo Vice-Presidente do Zimbabwe ouvido em tribunal

Phelekezela Mphoko, um antigo vice-Presidente do Zimbabwe, sob a governação de Robert Mugabe, acusado de corrupção, foi libertado quarta-feira ao fim da tarde, depois de ter pago uma caução equivalente a 100 dólares, disse à AFP o advogado.

Phelekezela Mphoko antigo Vice-Presidente do governo de Robert Mugabe
Fotografia: DR

O mesmo é acusado de ter ordenado à Polícia a libertação de dois responsáveis de empresas públicas que haviam sido presos, tendo sido alvo de um mandado de detenção por ter fugido à Polícia quando se preparava para prestar declarações no início da semana.

De 79 anos, o político zimbabweano foi agora libertado depois de uma breve comparência perante o tribunal de Bulawayo, segunda cidade do país, onde deverá voltar a comparecer no dia 4 de Setembro.

Segunda-feira, o antigo governante fugiu à alta velocidade dos membros da Comissão Nacional Anti-Corrupção (ZACC) que tentaram aproximar-se do seu veículo, em frente à sede da Polícia de Bulawayo, onde deveria apresentar-se. Considerado fugitivo, a partir daquela acção, Mphoko declarou ter sido informado que lhe seria injectado um produto tóxico, caso fosse detido.

A acusação contra si surge duas semanas depois da exoneração e prisão da ministra do Turismo, Prisca Mupfumira, após ter sido indiciada por causa do desaparecimento de 94 milhões de dólares, quando ainda controlava a pasta da Protecção Social.

Em prisão preventiva, Mupfumira é o primeiro membro do Governo do Presidente Emmerson Mnangagwa a ser exonerada e detida por um caso de corrupção.

Tempo

Multimédia