Mundo

Anulada a transferência de Lula para Tremembé

O Supremo Tribunal Federal do Brasil suspendeu, quarta-feira, por 10 votos contra um, a transferência do ex-Presidente Lula da Silva para uma prisão de delito comum, em São Paulo.

Lula continua em Curitiba
Fotografia: DR

A decisão surgiu após uma autorização dada pela Justiça ter provocado forte reacção no Congresso - com críticas tanto de aliados, como de adversários do ex-líder do Partido dos Trabalhadores.
A diferença horária do Bra-sil levou a que a imprensa de alguns países desse como certa a transferência ontem, mas o acto acabou por ser vetado pelos juízes já de madrugada em Angola.
Lula está preso desde 7 de Abril de 2018 numa cela especial na sede da Polícia Federal, em Curitiba, e a transferência foi solicitada pelo superintendente do órgão, Luciano Flores, sob justificação de que a presença do ex-Presidente altera a rotina da instituição. A juíza federal Carolina Lebbos decidiu autorizar a ida do líder petista para uma unidade prisional em São Paulo, Estado do qual é originário.
O juiz corregedor Paulo Eduardo de Almeida Sorci, do departamento estadual de execução criminal do Tribunal de Justiça de SP, determinou então a ida de Lula à penitenciária 2 de Tremembé, conhecida como “presídio dos famosos”.
A defesa de Lula protes-tou contra a decisão e recorreu ao Supremo com o argumento de que ela era “descabida e ilegal”, que acarretaria “vulnerabilidade jurídica e pessoal” e que ele tinha direito de permanecer numa cela de Estado-Maior, benefício de-terminado pelo ex-juiz Sergio Moro no mandado de prisão.

Tempo

Multimédia