Aviões ocidentais mataram líderes do Estado Islâmico


12 de Janeiro, 2017

A Força Aérea do Iraque matou quatro líderes do Estado Islâmico (EI) de nacionalidade australiana num bombardeamento ao bairro de Al Hadba, no norte de Mossul, anunciaram ontem num comunicado os Serviços de Inteligência Militar Iraquianos.

Os rebeldes foram identificados como Khaled Shoruf, apelidado “Abu Mosaab al Osturali”, Mohammed Abd al Karim, conhecido como “Abu Walid al Osturali”, Abdullah Ismael, cognome “Abu Aaesha”, e Sidrov, também chamado de “Abu Tiba al Ostrali”.
O bombardeamento aconteceu durante as operações lideradas pelo Exército iraquiano para expulsar o EI da província de Ninawa e da sua capital, Mossul, cidade que em 2014 se transformou no principal forte dos jihadistas em território iraquiano.
A ofensiva começou em 17 de Outubro e aumentou nas últimas duas semanas, com a chegada de reforços do Exército e da Polícia.
As forças iraquianas já chegaram às margens do rio Tigre, que divide a cidade, e garantiram que falta apenas recuperar o controlo de 20 bairros residenciais na parte leste da cidade, antes de se iniciar o assalto à área ocidental.
As  Nações Unidas calculam que 30 mil pessoas deixaram os seus países para se juntar a organizações terroristas no exterior, a maior parte na Síria e no Iraque. No caso da Austrália, as autoridades do país calculam que 110 cidadãos se alistaram em grupos jihadistas no Médio Oriente e, pelos menos, uma parte perdeu a vida.
O grupo Estado Islâmico é o que mais aproveitou da militância de voluntários, a partir de outros países, com grande destaque para os provenientes do Europa.

capa do dia

Get Adobe Flash player




ARTIGOS

MULTIMÉDIA