Mundo

Ataque suicida mata civis e causa feridos

Pelo menos 19 pessoas morreram e 70 ficaram feridas quando três bombistas suicidas se fizeram explodir num mercado no nordeste da Nigéria, um ataque atribuído ao Boko Haram, informaram ontem as milícias que lutam contra o grupo rebelde.

Exército começou a montar o cordão de segurança no Nordeste
Fotografia: Reuters

As explosões ocorreram na sexta-feira ao início da noite em Konduga,  35 quilómetros a sudeste da capital do estado de Borno, num mercado informal de peixe que serve também como restaurante e zona de lazer.
Segundo Babakura Kolo e Musa Ari, dois líderes da milícia que trabalham com o exército contra o grupo  Boko Haram, os três bombistas eram todos homens.
“Temos 19 mortos e cerca de 70 feridos”, afirmou Babakura Kolo, citado pela agência AFP, indicando que, entre os mortos, estão 18 civis e um soldado. Dos feridos, 22 estão em estado considerado crítico. As autoridades começaram a desenhar o quadro das investigações em cima das actividades desenvolvidas pelos principais grupos extremistas que actuam na região. O grupo  Boko Haram já matou mais de 20 mil pessoas no decorrer dos nove anos de insurreição armada na Nigéria, apesar de todas as tentativas das Forças Armadas para os fazer parar.
O Presidente nigeriano, Muhammadu Buhari, assegurou, em Dezembro de 2015, que os rebeldes tinham sido “tecnicamente batidos”.
A capacidade do Boko Haram perdeu força desde 2014, quando o movimento islâmico controlou partes do nordeste da Nigéria, mas o grupo ainda é uma ameaça.
Mahummadu Buhari articulou uma estratégia de combate ao Boko Haram com os países vizinhos, onde haviam se refugiado algumas unidas do grupo extremista. O Chade e Camarões puseram as suas forças em prontidão combativa, mas, em algumas ocasiões, foram obrigadas a agir para impedir que os extremistas criassem posições ofensivas nos seus territórios.

Tempo

Multimédia