Mundo

Autoridades moçambicanas abatem bananeiras para travar vírus letal

As autoridades da agricultura na província de Gaza, sul de Moçambique, estão a abater bananeiras no distrito de Chókwè para impedir a propagação de um vírus letal que ataca esta cultura e proibiram a circulação deste alimento.

Fotografia: DR

Celso Rufasse, coordenador do projecto de controlo do vírus BBV, citado hoje pelo diário O País, afirmou que o abate de bananeiras contaminadas iniciou-se em Junho e  até Dezembro estará interdita a saída da banana de Chókwè para outros mercados.

"Este vírus é letal, independentemente de termos que abater as bananeiras ou não, acabam morrendo. Se nós não abatermos, haverá maior dispersão da doença", frisou Celso Rufasse.

Para travar a propagação do vírus, as autoridades da agricultura já abateram cerca de 30 mil plantas só em Chókwè, numa extensão de cerca de 20 quilómetros. "Temos aproximadamente 100 produtores com suas áreas afectadas", disse Celso Rufasse. O abate de bananeiras contaminadas pelo vírus BBTV está orçado em 20 milhões de meticais (285 mil euros), uma acção que conta com a ajuda da África do Sul e dos Estados Unidos da América.

Tempo

Multimédia