Mundo

Banco Central de São Tomé e Principe adopta medidas para ultrapassar crise

O Banco Central de São Tomé e Príncipe (BCSTP) anunciou, ontem, a redução das reservas mínimas de caixa de 18 para 14 por cento em moeda nacional, e de 21 para 17 por cento em moeda estrangeira, devido à crise causada pela Covid-19.

Fotografia: DR

Segundo a Lusa, a decisão foi tomada no âmbito de várias medidas “com efeito imediato” para “mitigar” os efeitos da crise provocada pela Covid-19 “sobre as famílias e as empresas do país”, indica a instituição em comunicado.
O comunicado, lido pelo governador do BCSTP, Américo Barros, sublinha ainda que foram igualmente reduzidas as taxas de facilidade permanente de liquidez de 11 para 9,5 por cento.
As decisões tomadas pelo comité de política monetária do banco central “orientam” também os bancos a “conceder moratórias no pagamento das prestações aos agentes económicos”, designadamente empresas ou pessoas singulares “cujos rendi-
mentos ou negócios estejam a ser afectados de forma directa ou indirecta pelo choque” da Covid-19.
O Banco Central são-to-mense orientou igualmente os bancos comerciais “a suspender e/ou reduzir algumas comissões, sobretudo as referentes aos pagamentos electrónicos”. O BCSTP promete adoptar medidas temporárias de “flexibilização de alguns rácios prudenciais”, sublinhando que vai “acompanhar de forma atenta e sistemática” a evolução da crise provocada pelo novo coronavírus e “tomará todas as medidas para mitigar” os seus efeitos.

Tempo

Multimédia