Mundo

Berlim avalia papel da extrema-direita

As autoridades federais alemãs de justiça chamaram a si a investigação ao homicídio de um autarca conservador, partidário da abertura da Alemanha aos refugiados, depois da detenção de um suspeito com ligações à extrema-direita.

Fotografia: DR

O Ministério Público de Karlsruhe, competente em matéria de terrorismo e crime organizado, anunciou ontem que assumiu a condução da investigação.
A emissora pública regional SWR noticiou que os investigadores suspeitam que motivos políticos tenham estado na origem do assassínio de Walter Lübcke, 65 anos, encontrado morto a tiro em casa, em Kassel, no estado de Hesse (centro do país), a 2 de Junho.
Segundo a agência de no-tícias alemã DPA, um suspeito de 45 anos detido no sábado tem ligações à extrema-direita.
Lübcke, membro da União Democrata-Cristã (CDU), liderava a autarquia de Kassel e manifestou várias vezes o seu apoio à política de acolhimento de refugiados do Governo da chanceler Angela Merkel.
O suspeito detido foi identificado através de vestígios de ADN presentes na roupa da vítima.
Segundo a revista Der Spiegel, em 2009, o suspeito esteve entre cerca de 400 militantes neonazis detidos por atacarem manifestantes da Federação Alemã de Sindicatos (DBG) em Dortmund, tendo sido condenado a sete meses de prisão.
A revista acrescenta que o suspeito é também conhecido das autoridades por outros actos de violência e posse de armas.

Tempo

Multimédia