Mundo

Boris Johnson eleito líder do partido Conservador será o próximo PM britânico

O antigo ministro dos Negócios Estrangeiros Boris Johnson foi hoje declarado em Londres o vencedor da eleição para a liderança no partido Conservador, e vai suceder a Theresa May à frente do governo na quarta-feira.

Boris Johnson será nomeado primeiro-ministro quarta-feira pela rainha Isabel II após a demissão de Theresa May
Fotografia: DR

O resultado da eleição foi anunciado pela deputada Cheryl Gillan, uma das responsáveis pelo escrutínio interno no partido, no centro de conferências Queen Elizabeth II, perto de Westminster.

Boris Johnson ganhou com 92.153 votos, enquanto o outro candidato finalista, o actual ministro dos Negócios Estrangeiros, Jeremy Hunt, reuniu apenas 46.656 votos. O resultado é o desfecho de um processo que se prolongou por seis semanas e decidido pelo voto limitado a cerca de 160 mil militantes do partido Conservador.

Foi desencadeado pela renúncia de Theresa May à liderança do partido a 07 de junho devido à dificuldade em fazer aprovar no parlamento o acordo de saída para o ‘Brexit' que concluiu em novembro com Bruxelas.

Boris Johnson só será nomeado primeiro-ministro pela rainha Isabel II após a demissão de Theresa May na tarde de quarta-feira, após o debate semanal com os deputados na Câmara dos Comuns.

De 55 anos, tem um longo historial de controvérsias, escândalos e gafes, que o Daily Mirror resumiu em 37 casos. O antigo correspondente em Bruxelas - onde contribuiu de forma decisiva, com mentiras e meias verdades, para criar uma narrativa contra a burocracia das instituições europeias - é agora a voz da retirada do Reino Unido da UE a todo o custo. "Estamos a preparar-nos para sair em 31 de outubro. Venha o que vier. É matar ou morrer", disse, ao mesmo tempo que deixa no ar a ameaça de não pagar à UE o valor do acordo de saída, 39 mil milhões de euros.

"Acho que deveria haver uma ambiguidade criativa sobre quando e como isso será pago." Já o seu adversário, Jeremy Hunt, actual ministro dos Negócios Estrangeiros, mostrou-se mais comedido, ao defender a saída com acordo.

Próximos capítulos

Se tudo correr como previsto, após Theresa May participar no último debate parlamentar, na quarta-feira, irá ao Palácio de Buckingham apresentar a demissão à rainha. Nesse momento, com base na recomendação da chefe de governo cessante, Isabel II irá convidar o novo líder conservador a formar um novo governo e a tomar posse como primeiro-ministro. Faz parte da tradição que este, antes de entrar no número 10 de Downing Street, faça uma declaração ao país. Na quinta e sexta-feira será conhecido o elenco governamental.

Tempo

Multimédia