Mundo

Burindi: Jovens condenados a 30 anos de prisão por apedrejarem comitiva presidencial

Três jovens, incluindo uma rapariga, foram condenados, no domingo, pelo Tribunal de Kayanza, no norte do Burundi, a 30 anos de prisão, por “ataque e conspiração contra o Chefe de Estado”, Evariste Ndayishimiye, por terem apedrejado a sua comitiva, foi ontem anunciado pela agência France Presse.

Presidente do Burundi, Evariste Ndayishimiye eleito recentemente pelo povo
Fotografia: DR

Três pedras foram atiradas à caravana do Presidente Ndayishimiye a partir de uma estação de serviço, na quarta-feira, segundo a procuradora Désirée Bizimana.

A primeira atingiu um polícia da guarda presidencial, a segunda o para-brisas de um veículo e a última passou por cima da comitiva de cerca de 50 carros, de acordo com a acusação.

Cinco suspeitos foram presos na quarta-feira à noite, dois dos quais foram rapidamente libertados.

Chadia Mbaririmana e Augustin Manirishura, dois funcionários da estação de serviço, e Christophe Ndayidhimiye, um mecânico, foram inicialmente acusados de “violação da segurança pú-blica” e de não alertarem os serviços de que a segurança do Chefe de Estado do Burundi estava em perigo.

Durante todo o julgamento, os acusados negaram ter atirado pedras ou testemunhado pedras a serem atiradas, mas, ainda assim, o tribunal decidiu condená-los a 30 anos de prisão.

Tempo

Multimédia