Mundo

Cardeal George Pell enfrenta acusação civil

O cardeal australiano George Pell, já condenado por pedofilia, arrisca novos problemas com a justiça, desta vez acusado, através de uma denúncia civil, de ter acobertado um padre que sabia estar a abusar de crianças.

Cardeal australiano George Pell
Fotografia: DR

A queixa foi apresentada na sexta-feira, junto da Suprema Corte do Estado de Victoria por um homem que afirmou ter sido abusado pelo padre cristão Edward “Ted” Dowan, durante a escolaridade em Melbourne, no início de 1980, informou a imprensa local.
George Pell, o ex-número três do Vaticano, que era então bispo vigário da educação para a região de Ballarat (sul), é acusado de ter autorizado o eclesiástico a passar de uma escola para outra, sabendo dos factos que lhe são imputados. “Pell deve responder não só pelos seus próprios crimes, mas também pelos que foram cometidos por outros padres e irmãos a quem ele autorizou a transferência de uma escola para outra e de uma paróquia para outra”, disse Michael Magazanik, o advogado da vítima, citado pelo jornal The Australian.
Além de George Pell, a Comissão Católica para a Educação, o Bispo de Ballarat, Paul Bird e o arcebispo de Melbourne, Peter Comensoli, são mencionados na queixa, segundo a mesma fonte. O caso deverá ser objeto de uma mediação. O cardeal recorreu da condenação criminal por pedofilia. Os três juízes da Suprema Corte tomaram uma decisão, mas desconhece-se quando será anunciada.

Tempo

Multimédia