Mundo

Chade: Atentados suicidas provocam 14 mortes

Pelo menos 14 pessoas morreram, quarta-feira, em dois atentados suicidas junto ao Lago Chade, onde o grupo jihadista Boko Haram mantém células activas, afirmou o Governo regional tchadiano, citado por agências noticiosas internacionais.

Jihadistas prosseguem actos de violência contra civis
Fotografia: DR

Segundo fontes oficiais citadas pela agência Efe, os ataques ocorreram na manhã de quarta-feira nas localidades insulares de Gomirom e Kirkindjia, na província ocidental do Lago, em pouco mais de uma hora. “Fomos alertados por uma violenta explosão em Gomirom e enviámos uma unidade do Exército para o terreno. Os nossos homens chegaram trinta minutos depois e confirmaram que foi um atentado terrorista”, disse o governador da província do Lago, Adoum Fortey, à Efe.
O responsável referiu que o primeiro ataque foi da autoria de uma mulher, que se fez explodir, matando nove civis. Enquanto isso, um outro bombista detonou as bombas em Kirkindjia, uma aldeia nas proximidades, matando três mulheres e dois homens. A nove de Abril, o porta-voz do Exército do Chade, o coronel Azem Bermendoa Agouna, anunciou que mil membros do Boko Haram tinham sido mortos durante uma operação anti-terrorista iniciada a 31 de Março, em retaliação a um ataque que vitimou 116 soldados chadianos. O Chade integra, juntamente com o Níger, Mauritânia, Burkina Faso e Mali, a coligação G5 Sahel, que combate o terrorismo naquela região africana.

Tempo

Multimédia