Mundo

Coligação no poder vence com facilidade

A primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, destacou ontem a vitória da coligação governamental de direita a que pertence, nas eleições legislativas de segunda-feira com 95 por cento dos votos.

Primeira-ministra Erna Solberg fala em grande vitória
Fotografia: Marit Hommedal | AFP

“Devemos manter-nos cautelosos, mas parece que temos uma maioria não socialista”, declarou Erna Solberg, que foi reeleita, depois de terem sido escrutinados, na latura, mais de 90 por cento dos votos.
A coligação governamental de direita da primeira-ministra conservadora, Erna Solberg, ganhou as eleições legislativas na Noruega, com 95 por cento dos votos.
Os quatro partidos de direita obtiveram 89 dos 169 lugares no Storting (Parlamento) frente aos 81 do bloco opositor, encabeçado pelo líder trabalhista, Jonas Gahr Støre, que reconheceu a derrota. Com esta projecção, o Partido Trabalhista, o mais votado desde 1924, mantêm a sua condição de principal força política, apesar de perder votos em relação as eleições anteriores, obtendo 27,3 por cento dos votos e 50 deputados, à frente do Partido Conservador de Solberg, com 26,2 por cento e 49 deputados eleitos. Segundo a sondagem, a direita deve continuar no poder, apesar de perder cinco pontos e ter menos oito deputados.
O Partido do Progresso, uma formação de tendência xenófoba que governa em coligação com os conservadores, continua a ser a terceira força mais votada, com 15,7 por cento e 29 deputados, um resultado muito similar ao de há quatro anos.
As outras forças do bloco governamental e que garantiram a maioria ao Executivo na passada legislatura - liberais e democratas-cristãos - podem ficar  acima dos quatro por cento, com dez lugares entre as duas, nove menos que nas últimas eleições. A queda dos trabalhistas, de quase quatro pontos percentuais, pode ser compensada pela subida do seu aliado, o Partido do Centro, que conquistou uma boa percentagem dos votos.

Tempo

Multimédia