Mundo

Comida é utilizada como arma de guerra

O Presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, está a utilizar mantimentos como armas de guerra para atacar civis, ao bloquear as ajudas humanitárias em algumas áreas, acusam especialistas da ONU que monitorizam a aplicação de sanções, que alertaram o Conselho de Segurança para a situação vivida no país mais jovem do mundo.

“O Governo durante grande parte de 2017 impediu deliberadamente que a assistência alimentar chegasse a alguns cidadãos. Essas acções equivalem a usar a comida como arma de guerra com a intenção de castigar os civis que o Governo vê como opositores”, afirmam os especialistas da ONU.
“A recusa de ajuda causou insegurança alimentar extrema em grande parte da população, com desnutrição e morte por fome na região de Greater Baggari, no concelho de Wau”, lê-se no relatório apresentado ao Comité de sanções do Sudão do Sul no Conselho de Segurança.
Além das restrições à ajuda humanitária, o relatório  apontou que, apesar das condições catastróficas no Sudão do Sul, forças armadas, grupos e milícias continuam a “impedir activamente operações humanitárias e de manutenção da paz”.
A missão do Sudão do Sul na ONU ainda não comentou o relatório.
Entretanto, uma doação de 25 mil euros feita pelo papa Francisco deve ajudar a aliviar a fome no Sudão do Sul. A Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, que recebeu a quantia, informou que o dinheiro foi utilizado para compra de kits para cultivo de legumes.

Tempo

Multimédia