Mundo

Confrontos fazem 127 vítimas mortais no Sudão do Sul

Pelo menos, 127 pessoas morreram nos últimos quatro dias em confrontos entre civis e militares no Sudão do Sul, durante uma operação das Forças Armadas para desarmar a população, noticiou, ontem, a agência Efe, citando o porta-voz do Exército do Sudão do Sul, Lul Ruai Koang.

Fotografia: DR


Os confrontos tiveram início domingo, na cidade de Tonj, Estado de Warrap, zona ocidental do país, quando uma disputa entre militares e civis resultou na morte de dois jovens, criando um surto de violência na região.
Stephane Dujarric, porta-voz do Secretário-Geral das Nações Unidas, afirmou que uma patrulha da ONU foi enviada para a região para analisar a situação de insegurança. As Nações Unidas apelaram a todos os envolvidos a “depor as armas e a ajudarem a restaurar a calma pelo bem das comunidades”.
De acordo com Dujarric, a missão pretende juntar líderes políticos e comunitários e apoiar os esforços para uma reconciliação local.
Muitos dos civis de Tonj têm armas para proteger o gado de assaltos à mão armada por parte de comunidades vizinhas, assim como para proteger as famílias, argumentando que as autoridades não garantem a segurança necessária.

 

 

Tempo

Multimédia