Mundo

Congressista recusa ir a Israel visitar avó

A congressista democrata norte-americana de origem palestiniana Rashida Tlaib anunciou, ontem, que renuncia visitar a avó, na Cisjordânia ocupada, devido às “condições opressivas” impostas, segundo ela, por Israel, cujas “políticas racistas” criticou na rede social Twitter.

Fotografia: Dr

“Decidi que visitar a minha avó sob estas condições opressivas vai contra tudo em que acredito: combater o racismo, a opressão e a injustiça”, escreveu Tlaib.
Antes, Israel tinha decidido autorizar a entrada da congressista “para uma visita humanitária à avó”, que vive na aldeia de Beit ur al-Fauqa, perto de Ramallah, depois de, na quinta-feira, lhe ter recusado e à outra congressista o acesso ao território ocupado devido ao apoio ao movimento de boicote internacional ao Estado israelita.
Na Câmara dos Representantes desde Janeiro de 2019, Rashida Tlaib, 43 anos, é a primeira congressista norte-americana de origem palestiniana, assim como uma das duas primeiras mulheres muçulmanas eleitas para aquele órgão.
“Quando ganhei, isso deu esperança aos palestinianos de que alguém diria finalmente a verdade sobre as condições desumanas. Não posso permitir ao Estado de Israel extinguir esta chama, humilhando-me, e utilizar o meu amor pela minha avó para me submeter às suas políticas opressivas e racistas”, adianta no Twitter.
A avó de Tlaib tem 90 anos e a congressista considerou que esta poderia ser a “última oportunidade de a visitar”, na carta escrita às autoridades israelitas após a recusa de Israel, na quinta-feira, de autorizar a sua entrada e a de Ilham Omar, a outra mulher muçulmana eleita para a Câmara dos Representantes, a Câmara Baixa do Congresso dos Estados Unidos. Ambas pertencem à ala esquerda do Partido Democrata.
Omar e Tlaib manifestaram publicamente apoio ao chamado movimento BDS (Boicote, Desinvestimento e Sanções), promovido por palestinianos e que apela para um boicote económico, cultural e científico a Israel em protesto contra a ocupação dos territórios palestinianos.

 

Tempo

Multimédia