Mundo

Corrupção está por detrás da exploração ambiental

O Papa Francisco considera que por detrás da exploração do ambiente, da desflorestação e da destruição da biodiversidade está a corrupção.

Fotografia: Dr

O Papa argentino falava na noite de terça-feira, durante uma conferência de imprensa, a bordo do avião, quando regressava de uma viagem de dez dias a Moçambique, Madagáscar e Ilhas Maurícias.“A maior exploração que ocorre hoje, não apenas em África,mas em todo o mundo, é no ambiente, com a desflorestação e a destruição da biodiversidade, tão necessária para a humanidade”, denunciou.
Perante a pergunta se os governantes estão a fazer o necessário para proteger o ambiente de incêndios, como os registados na Amazónia, o chefe da Igreja Católica respondeu: “Alguns, outros menos”.
“Há uma palavra que devo dizer que está na base da exploração ambiental ... E a palavra feia é corrupção”, disse, referindo que isto acontece em África, na América-Latina, Europa e em qualquer lugar”.
O próximo Sínodo dos Bispos, que decorre no Vaticano, de 6 a 27 de Outubro, será sobre a Amazónia, e deverá abordar, entre outros temas, os problemas ambientais, nomeadamente as consequências da exploração das florestas e dos recursos hídricos.
Ainda durante a viagem de regresso da visita a Mo-çambique, Madagáscar e Maurícias, o Papa admitiu o risco de um “cisma” na Igreja Católica, lamentando o comportamento de algumas pessoas que “apunhalam pelas costas”.
Segundo o Papa, sempre houve cismas na Igreja, tanto depois do Concílio Vaticano I quanto do Concílio Vaticano II, uma vez que “sempre existe a opção cismática na Igreja. É uma escolha que o Senhor deixa para a liberdade humana”.

Tempo

Multimédia