Mundo

Covid-19: África do Sul prevê recessão de 7,2 por cento este ano

A economia da África do Sul vai registar uma recessão de 7,2 por cento este ano devido à pandemia da covid-19, anunciou hoje o ministro das Finanças, Tito Mboweni.

Fotografia: DR

“A economia deve cair 7,2 por cento por causa da pandemia, tal como acontece com a economia mundial, que enfrenta a pior contração dos últimos 90 anos", disse o governante durante a apresentação do orçamento retificativo que foi hoje apresentado aos deputados.

Os novos números apontam para um défice orçamental de 15,7 por cento, mais do dobro do desequilíbrio de 6,8 por cento previsto em fevereiro, o mesmo acontecendo com a dívida pública, que deverá resvalar para 82 por cento até março do próximo ano, e continuar a subir para 87,5 por cento entre 2023 e 2024, apesar das medidas que o Governo garante ir apresentar para controlar a subida.

O número de mortos em África devido à covid-19 subiu para 8.618, mais 284 nas últimas 24 horas, em cerca de 324 mil casos, segundo os dados mais recentes sobre a pandemia no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número de infetados é de 324.696, mais 9.286 casos nas últimas 24 horas. O número de recuperados é de 154.170, mais 4.188.

A África Austral regista o maior número de casos (110.756) e contabiliza 2.160 mortos, a grande maioria concentrada na África do Sul, o país com mais infetados em todo o continente (106.108) e que regista 2.102 vítimas mortais.

O primeiro caso de covid-19 em África surgiu no Egito em 14 de fevereiro, e a Nigéria foi o primeiro país da África subsaariana a registar casos de infecção, em 28 de fevereiro.

Tempo

Multimédia