Mundo

Covid-19: Boris Johnson continua em convalescença e sem trabalhar

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, continua a convalescença da infecção com Covid-19 na sua residência de campo em Chequers Court, nos arredores de Londres, e não está a fazer qualquer "trabalho governamental", disse hoje um porta-voz.

Fotografia: DR

De acordo com a mesma fonte, Johnson falou na Quinta-feira com o ministro dos Negócios Estrangeiros, Dominic Raab, que substitui o primeiro-ministro na sua ausência à frente do governo. No entanto, garantiu, o primeiro-ministro "continua a sua recuperação em Chequers e não está a fazer trabalho governamental".

Johnson recebeu alta no Domingo do hospital de St. Thomas, em Londres, onde passou uma semana internado devido ao agravamento dos sintomas do novo coronavírus, incluindo três noites nos cuidados intensivos. Enquanto Primeiro Ministro de Estado, Raab conduziu na Quinta-feira um conselho de ministros e a reunião do comité sobre a pandemia de Covid-19, e protagonizou a conferência de imprensa diária sobre a crise onde foi anunciado um prolongamento por mais três semanas do regime de confinamento.

O porta-voz de Johnson reiterou não ser possível ainda possível determinar quando é que as restrições à circulação podem ser relaxadas, e que as diretrizes atuais impedem que as pessoas viajem para ir de férias. O Ministério dos Negócios Estrangeiros britânico mantém desde meados de Março um conselho por tempo indefinido contra "todas as viagens não essenciais em todo o mundo".

"À medida que progredimos na nossa luta contra o coronavírus, não podemos dizer com certeza quando é que as medidas de distanciamento social vão poder ser relaxadas em termos de viagens dentro do Reino Unido para as férias", disse o porta-voz. Em entrevista hoje à BBC, o ministro dos Transportes, Grant Shapps, aconselhou cautela aos britânicos para que não marquem férias de Verão no estrangeiro devido à incerteza criada pela pandemia de Covid-19, motivando críticas do setor do turismo.

"Eu não reservar férias de verão nesta altura", vincou, a título de conselho aos britânicos. O presidente executivo da associação dos promotores de turismo britânicos (ABTA), Mark Tanzer, qualificou as declarações de "insensatas" e potencialmente prejudiciais para a indústria. O Reino Unido registou 14.576 mortos em 108.692 pessoas infectadas durante a pandemia Covid-19, de acordo com a atualização dos dados feita hoje pelo Ministério da Saúde britânico.

Tempo

Multimédia