Mundo

Covid-19: Britânicos exortados a não baixar a guarda

O Primeiro-Ministro britânico, Boris Johnson, dirigiu-se ontem aos britânicos através de um vídeo publicado no Twitter para relembrar que são necessários cinco requisitos para o país poder sair do confinamento.

Fotografia: DR

Começando por agradecer a todos pelos progressos que o país tem registado, o Primeiro-Ministro do Reino Unido defende que são necessários ainda cinco requisitos para que os britânicos possam passar “à segunda fase deste combate” e, posteriormente, retomar a normalidade.
O primeiro requisito, começa por enumerar, é o “Serviço Nacional de Saúde ter capacidade em todo o país para acolher todos os casos críticos”. Segue-se a necessidade de “haver uma quebra consistente no número de mortes diárias” e, também, a de “haver uma informação consistente que garanta que a taxa de infecção está a baixar”.
Depois disso, é preciso que “os desafios operacionais, incluindo os testes, sejam acompanhados por uma grande variedade de produtos para satisfazer a procura futura”, e, por fim, refere, “é preciso que estejamos confiantes de que possíveis alterações às medidas não nos colocarão em risco de um segundo pico de infecções”. “O pior que podemos fazer agora é desleixarmo-nos cedo demais”, culmina Boris Johnson.

Espanhóis voltam a sair e enchem ruas de Barcelona

Pela primeira vez em quase 50 dias os espanhóis puderam finalmente caminhar e fazer desporto ontem, no âmbito do levantamento das medidas de restrição para o combate à pandemia causada pela Covid-19 “Esta medida que outros países já tomaram aqui demorou um pouco, talvez devido às circunstâncias, mas é bom que este momento tenha chegado. Tive saudades de ver o mar e fazer desporto”, disse um dos entrevistados pela cadeia de televisão Euronews.
A decisão foi tomada na condição de serem respeitadas as medidas de segurança e as faixas horárias estabelecidas para as famílias com crianças, para o desporto ou a pé e para os idosos e pessoas vulneráveis. “O primeiro pensamento é sair de casa e apanhar sol, andar por aí e tirar partido disso como quando saíamos a correr da escola”, conta um homem já de certa idade.
Mas as regras nem sempre foram seguidas. Algumas pessoas mostraram-se desiludidas, perante as multidões que invadiram a marginal de Barcelona: “Com todo o esforço que fizemos, o Governo não deveria ter voltado atrás, porque não estivemos à altura. Pensei que as pessoas estariam muito mais conscientes e vejo que não o fizeram. Vemos tudo isto e ficamos desapontados”, disse uma corredora.

Tempo

Multimédia