Mundo

Covid-19: Cabo Verde e São Tomé entre países com mais casos por 100 mil habitantes

Cabo Verde é o segundo país africano com mais casos de Covid-19 por 100 mil habitantes e São Tomé e Príncipe o quarto, enquanto Angola regista uma taxa de letalidade superior à média mundial, segundo dados oficiais.

De acordo com a avaliação semanal do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), a seguir à África do Sul, que regista 1.079 casos por 100 mil habitantes e é o país africano mais afectado, surgem Cabo Verde com 647 casos, o Djibuti com 539, e São Tomé e Príncipe com 448 infecções por 100 mil habitantes.

Cabo Verde conta com um acumulado de 3.884 casos da doença desde 19 de Março. Desse total, 928 permanecem activos, 40 morreram e 2.916 foram dados como recuperados. São Tomé e Príncipe conta 896 casos e 15 vítimas mortais. 

O boletim, que analisa a evolução da pandemia no continente africano nos últimos oito dias (25 de agosto a 01 de Setembro), coloca ainda Angola (4%) entre os 11 países africanos com uma taxa de letalidade associada à doença superior à taxa média mundial de 3.4 por cento.

De acordo com os dados oficiais mais recentes, Angola soma 2.654 casos positivos, 108 óbitos, 1.475 casos activos e 1.071 doentes recuperados. República Árabe Sarauí (8%), Chade (8%), Sudão (6%), Libéria (6%), Níger (6%), Egipto (6%), Mali (5%), Tanzânia (4%), Burkina Faso (4%) e Serra Leoa são os outros países desta lista.

Segundo a mesma análise, os 1.252.552 casos de covid-19 registados no continente africano representam 5% do total de casos assinalados em todo o mundo. No período analisado foram registados 57.255 novos casos da doença e 1.849 mortes nos 55 Estados-membros da União Africana, o que representa um crescimento global dos casos de cinco por cento, mas um decréscimo de 15 por cento no número de novas infecções e de 12 por cento no número de mortes relativamente à semana anterior.

Por regiões, 35 por cento dos novos casos foram identificados na África Austral (20.146), 29 por cento no norte de África (16.691), 24 por cento na África Oriental (13.911), nove por cento (4.923) na África Ocidental e três por cento na África Central (1.600).

Nove países representam 81 por cento dos novos casos registados durante este período: África do Sul (27%), Etiópia (17%), Marrocos (16%), Líbia (5%), Argélia (4%), Quénia (3%), Nigéria (3%), Namíbia (3%) e Egipto (3%).

Desde meados de Julho, altura em que o continente atingiu o pico de novas infecções (com uma média de 20 mil por semana) que os novos casos no continente têm vindo a descer, tendo a média dos últimos dias ficado abaixo dos 10 mil. Os países africanos realizaram desde Fevereiro mais de 11,8 milhões de testes à covid-19, com uma taxa de positividade de 10,7 por cento e um rácio de testes por cada caso declarado de 9,5 por cento.

 De acordo com o África CDC, nas últimas 24 horas registaram-se nos 55 Estados-membros da organização 244 mortes (mais 85 do que no período homólogo anterior), 7.322 novas infecções (menos 838) e 10.160 doentes recuperados (mais 3.479). No total, o continente soma 29.833 mortes e 985.803 doentes recuperados num total acumulado de 1.252.552 casos de infecção.

A Covid-19 já provocou pelo menos 851.071 mortos e infectou mais de 25,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço da agência francesa AFP.

Tempo

Multimédia