Mundo

Covid-19: Economica africana vai ser a mais afectada

A vice-presidente em exercício do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) Bajabulile Swazi Tshabalala defendeu hoje (8) que o continente africano vai ser o mais afectado pela pandemia da Covid-19, do ponto de vista económico.

Fotografia: DR

Do ponto de vista económico, podemos muito bem ser o continente mais afetado", respondeu Tshabalala durante uma conferência virtual realizada pela Organização das Nações Unidas, em resposta a vários participantes que observaram que África parecia estar a ser menos atingida pelos impactos de saúde da pandemia do que outras regiões.

De acordo com a vice-presidente do BAD com o pelouro financeiro, citada num comunicado do banco, Tshabalala lembrou os constrangimentos das populações com as medidas de confinamento, reduzindo o rendimento e potenciando um agravamento das difíceis condições sociais e económicas de vários países, e sublinhou que "África precisa de entre 110 a 115 mil milhões de dólares em alívio económico e social" devido à pandemia.

A reunião do Compacto Global da ONU, uma iniciativa que envolve dirigentes empresariais de topo para implementar princípios de sustentabilidade universal, decorreu hoje em formato virtual e juntou vários especialistas nas áreas dos direitos humanos, trabalho, ambiente e combate à corrupção. "Nenhum país está isento ou imune às consequências de saúde e económicas que estão a desenvolver-se; a covid-19 afecta-nos a todos, quer sejamos um país desenvolvido ou em desenvolvimento", vincou a banqueira na sua intervenção inicial.

O enviado especial da Organização Mundial de Saúde da ONU (OMS), David Nabarro, alertou que "o vírus está cá para ficar e todos nós vamos ter de viver com ele como uma ameaça sempre presente nas nossas vidas e nas nossas comunidades".

 

Tempo

Multimédia