Mundo

Covid-19: Iraque regista pela primeira vez mais de 100 mortos em 24 horas

O Iraque registou nas últimas 24 horas perto de 2.500 casos do novo coronavírus e 107 mortes, dois números recorde num país em que o debilitado sistema de saúde corre o risco de falir sob a pressão da Covid-19.

Fotografia: DR

Desde o início, a epidemia mundial do novo coronavírus parecia poupar o Iraque, mas nas últimas semanas a situação mudou no país de 40 milhões de habitantes, devastado pelas guerras e com serviços públicos decadentes há décadas.

 O Ministério da Saúde indicou hoje que o Iraque conta com 39.139 infectados, dos quais 1.437 morreram e 18.051 estão curados. Só nas últimas 24 horas foram registados 2.437 casos nas 18 províncias do país, assim como 107 mortes. O Iraque, que fez menos de meio milhão de testes desde Março, tem grande falta de médicos, hospitais e medicamentos.

O país recebeu ajuda para enfrentar a pandemia, sobretudo da China e dos Emirados Árabes Unidos, mas os profissionais de saúde continuam a lamentar a falta de camas e de ventiladores. As autoridades decretaram inicialmente o confinamento obrigatório, mas actualmente está em vigor na maioria das províncias o recolher obrigatório entre as 18:00 e as 05:00, permitindo alguma actividade económica no país, o segundo produtor da OPEP, atingido pela queda do preço do petróleo.

Apesar das medidas adotadas pelas autoridades, a contaminação continua a aumentar, afetando por vezes famílias extensas, nomeadamente após casamentos e funerais, ainda que as concentrações estejam proibidas.

Tempo

Multimédia