Mundo

Covid-19: Mais de mil médicos britânicos querem deixar o sector público

Um inquérito revela que grande parte dos profissionais de saúde no Reino Unido está descontente com a forma como o Governo tem lidado com a pandemia e com a remuneração oferecida na rede pública.

O inquérito apurou que os médicos pretendem deixar o país, fazer uma pausa na carreira ou passar a trabalhar apenas no sector privado.
Fotografia: DR

Mais de mil médicos do Serviço Nacional de Saúde britânico (National Health Service - NHS) pretende deixar de trabalhar na rede de cuidados de saúde pública.  Segundo o novo inquérito, citado pelo The Guardian, os profissionais de saúde estão desiludidos com a forma como o Governo de Boris Johnson está a lidar com a pandemia da Covid-19 e com os salários.

O inquérito apurou que os médicos pretendem deixar o país, fazer uma pausa na carreira ou passar a trabalhar apenas no sector privado. Além dos riscos que enfrentam devido à pandemia, os profissionais de saúde estão preocupados com os elevados níveis de stress provocados pela profissão.

style="text-align: justify;">“Os médicos do NHS estão a sair desta pandemia maltratados e esgotados”, disse a coordenadora da investigação, Samantha Batt-Rawden, presidente da Associação de Médicos britânica. No total, 1.758 médicos de várias regiões do Reino Unido revelaram no inquérito online que querem deixar o sector público.

Dos inquiridos, 1.214 médicos afirmaram que a pandemia e a actuação do Executivo são o motivo pelo qual vão deixar o SNS britânico e 74 por cento responderam que a decisão tem como base o vencimento oferecido no sector público e a falta de progressão na carreira a nível monetário.

Tempo

Multimédia