Mundo

Covid-19: Moçambique lança plataforma para autoavaliação de risco de contágio

O Ministério da Saúde de Moçambique lançou hoje (11) uma plataforma “online”para autoavaliação de risco de contaminação pelo coronavírus que provada a doença Covid-19, uma iniciativa que vai facilitar a identificação de zonas de propagação no país.

Armindo Tiago, Ministro da Saúde de Moçambique
Fotografia: DR

Trata-se de uma plataforma para avaliação de risco para cada pessoa e que pode ser usada através do telemóvel", disse Rosa Marlene, directora nacional de Saúde Pública, durante a conferência de imprensa de actualização de dados sobre a Covid-19 no país. Os dados que forem recolhidos através da plataforma vão servir para que as autoridades identifiquem as zonas de risco de propagação no país, o que poderá melhorar a capacidade de resposta, explicou o Ministério da Saúde.

"Os usuários desta plataforma serão acompanhados pelos profissionais de saúde sem precisar sair de casa", afirmou Rosa Marlene. Além da plataforma de autoavaliação de risco, há outras plataformas informativas sobre a Covid-19 que estão a ser adoptadas pelo Governo moçambicano.

Nas últimas 24 horas, Moçambique testou 14 pessoas suspeitas, mas não registou casos novos. Ontem, o Ministério da Saúde anunciou a subida de 17 para 20 dos casos confirmados de contágio pelo novo coronavírus. Segundo o Ministério da Saúde, desse total de 20 casos registados desde o primeiro caso no país, a 11 de março, 12 são de transmissão local e oito são importados.

Os três novos casos resultaram de uma investigação sobre as ramificações de um caso de infeção, anunciado em 02 de abril, descoberto em Afungi, Cabo Delgado, na área do projeto para a exploração de gás no Norte de Moçambique liderado pela francesa Total.

As autoridades moçambicanas identificaram 66 pessoas que tiveram contacto com o primeiro caso de Afungi, dos quais 64 do meio profissional do indivíduo, mas ainda decorrem acções para a identificação dos contactos dos três novos casos.

Moçambique vive em estado de emergência durante todo o mês de abril, com espaços de diversão e lazer encerrados, proibição de todo o tipo de eventos e de aglomerações. Durante o mesmo período, as escolas estão encerradas e a emissão de vistos para entrar no país está suspensa.

Tempo

Multimédia