Mundo

Covid-19: Netanyahu em quarentena após contágio de assessora

O Primeiro-Ministro de Israel em funções, Benjamin Netanyahu, decidiu ficar em quarentena após uma assessora ter testado positivo para o novo coronavírus, informou ontem o seu gabinete.

Fotografia: DR

Netanyahu já foi testado e ficará em quarentena até receber os resultados ou ser autorizado pelo Ministério da Saúde e pelo seu médico a deixar o isolamento.
Os conselheiros mais próximos também estão a optar pelo isolamento.
O gabinete do Primeiro-Ministro israelita indicou tratar-se de uma medida de precaução antes da conclusão de uma investigação epidemiológica.
O caso positivo é o da assessora para os assuntos parlamentares, Rivka Paluch.
Mais de 4.300 israelitas foram infectados até agora e 15 morreram com o covid-19.
Em Israel a epidemia ocorre quando o país enfrenta uma crise política e tem um Governo provisório há quase um ano.
Benjamin Netanyahu tem estado a negociar com o antigo rival Benny Gantz a formação de um Governo de união e emergência para enfrentar a crise sanitária.
O novo coronavírus, responsável pela pandemia do covid-19, já infectou mais de 727 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 35 mil.
Dos casos de infecção, pelo menos 142.300 são considerados curados.
Depois de surgir na China, em Dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.
O continente europeu, com mais de 396 mil infetados e perto de 25 mil mortos, é aquele onde se regista actualmente o maior número de casos.

Tempo

Multimédia