Mundo

Covid-19: Presidente do Madagáscar diz conhecer remédio à base de plantas

Santos Vilola |*

O Presidente malgaxe, Andry Rajoelina, afirmou conhecer um remédio à base de plantas capaz de curar a Covid-19.

residente malgaxe, Andry Rajoelina
Fotografia: DR

“A 24 de Março, recebi uma carta informando que Madagáscar tem o remédio que poderia, sob condição, porque ainda temos que provar isso, curar o coronavírus (...) essa planta medicinal pode curar completamente o coronavírus”, concluiu o antigo autarca de Antananarivo e disco jóquei durante uma transmissão televisiva.

Sem precisar o nome da planta, Rajoelina disse: “Vamos fazer os testes e estou convencido de que Madagáscar encontrará esse remédio”. O Chefe de Estado malgaxe garantiu que cientistas e laboratórios de vários países estão prontos a participar.“Podemos mudar a história do mundo inteiro”, acrescentou.

Hissène Habré  deixa a prisão

No Senegal, o antigo Presidente do Chade, Hissène Habré, condenado a prisão perpétua, foi autorizado a deixar a cadeia da capital Dakar, para estar em prisão domiciliar.  A decisão do juiz, depois do recurso do advogado de Habré, deveu-se ao receio de vir a contrair a Covid-19, na cadeia.
Condenado em 2017, o antigo Presidente chadiano deve ficar sob vigilância domiciliar durante 60 dias.
Habré vai ser vigiado 24/24h. A decisão, é da Justiça e não do Chefe de Estado senegalês, nem é uma liberdade condicional.
A Associação das Vítimas do Regime de Hissène Habré estão contra a decisão das autoridades chadianas e consideram a libertação uma “graça”. Habré governou o Tchad com mãos de ferro.

Presidente do Botswana livre da quarentena

Entre Presidente e antigo Presidente, a Covid-19 também chegou a forçar a uma quarentena o Chefe de Estado do Botswana.
Mokgweetsi Masisi, que já está livre do regime de quarentena, regressava da Namíbia onde esteve para participar na investidura do Presidente eleito Hage Geingob.

Robôs obrigam pessoasa respeitar o isolamento

Na Tunísia, os autómatos (robôs) obrigam as pessoas a respeitarem a quarentena. Depois de uma semana, a Polícia pôs robôs na rua, controlados à distância para obrigar os tunisinos a cumprirem com o confinamento. É uma aposta inédita e tecnologia 100 por cento local. São rápidos e circulam pela cidade. Levam um segundo a interpelar uma pessoa e, com dez câmaras instaladas num ângulo de 180 graus, conseguem sacar o Bilhete de Identidade e a permitir, ou não,a circular.

*Com as agências

 

Tempo

Multimédia