Mundo

CPLP dá aval à entrada da Índia e Irlanda como observadores

Os representantes dos Estados-membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) deram hoje o aval aos processos de candidatura da Índia e Irlanda a observadores associados, o que será depois avaliado na cimeira da organização.

A manifestação de interesse da Índia foi apresentada em maio último e a da Irlanda em Abril, adiantaram fontes diplomáticas à Lusa.
Fotografia: DR

“Registamos com apreço os pedidos da Irlanda e da Índia", afirmou o embaixador de Cabo Verde, país que detém a presidência rotativa da CPLP, após uma reunião do Comité de Concertação Permanente (CCP), que reúne os representantes dos Estados-membros da organização. Agora, a decisão sobre a entrada dos dois países como observadores associados compete aos chefes de Estado e de Governo, que deverão reunir-se na cimeira da CPLP, prevista para Julho do próximo ano em Luanda, Angola.

"O CCP deu o aval para se prosseguir com os processos de candidatura da Índia e da Irlanda a países observadores associados" e "sem nenhuma objecção", reforçou Eurico Monteiro. No total, com estes dois países, já serão 11 as candidaturas a observadores associados que irão à próxima cimeira: Estados Unidos da América, Espanha, Índia, Irlanda, Grécia, Costa do Marfim, Peru, Qatar, Roménia, Organização Europeia de Direito Público (EPLO, na sigla em ingês) e Secretaria Geral Ibero-Americana.

A manifestação de interesse da Índia foi apresentada em maio último e a da Irlanda em Abril, adiantaram fontes diplomáticas à Lusa. Em Dezembro de 2019, o primeiro-ministro português, António Costa, afirmou à agência Lusa que o seu homólogo indiano, Narendra Modi, lhe comunicou a decisão da Índia de requerer o estatuto de país observador associado da CPLP.

"Estamos perante uma excelente notícia. Tenho a certeza que todos os países da CPLP irão acolher como muito positivo esse reconhecimento da parte da Índia sobre a importância geoestratégica, política e cultural de um espaço que percorre todos os continentes e que reúne cerca de 260 milhões de habitantes", declarou na altura o primeiro-ministro português.

Já em Fevereiro deste ano, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, pouco depois de ter aterrado em Nova Deli, também para uma visita de Estado àquele país, disse que a entrada da Índia na CPLP com o estatuto de membro associado iria concretizar-se na próxima cimeira da organizaçãi.

Tempo

Multimédia