Mundo

Cuba com mais de 60 novos casos suspende reinício das aulas em Havana

Cuba registou hoje 63 novos casos de covid-19, a grande maioria em Havana, onde as infeções diárias continuam a aumentar, o que já levou à suspensão do reinício do ano letivo previsto para Setembro, refere a agência EFE.

Fotografia: DR

Os números deste sábado dão sequência à tendência de aumento de infecções pelo novo coronavírus, registado durante esta semana, que teve o seu dia mais crítico na segunda-feira, com 93 casos confirmados, o maior número de infectados em 24 horas, desde o início da pandemia no país, informa a EFE.

A ilha acumula até ao momento 3.292 diagnósticos positivos, dos quais 2.568 pacientes já recuperaram, ou seja, 78,1 por cento do total dos doentes, segundo o relatório diário do Ministério da Saúde Público (Minsap), citado pela EFE.

Dos novos infectados, 54 residem em 12 dos 15 municípios da capital cubana, que teve que cancelar a sua reabertura.

Depois de quase erradicar a doença, Havana regista agora mais de 400 casos ativos espalhados pelo seu território.

A vizinha Artemisa reportou dois novos casos e a província de Villa Clara (centro) soma outros quatro, relacionados com o primeiro evento de transmissão na área central do país, desde que essa área começou a desaceleração no final de Junho.

Esse surto, relacionado com uma pessoa infetada que visitou Havana, levou as autoridades cubanas a colocarem em quarentena a cidade de Camajuaní e a aumentar as restrições às viagens entre a região oeste e o resto do país.

Entre os infectados deste sábado estão 60 cubanos e três estrangeiros residentes. Destes, 52 são contactos de outros casos, a origem da infecção não foi identificada em cinco casos e três vêm do estrangeiro, segundo dados do Ministério da Saúde, que também não informou os países de origem desses pacientes.

Quarenta destes casos positivos não apresentavam sintomas na hora do teste, tendência "perigosa" para a qual chamou a atenção o director de Epidemiologia do Minsap, Francisco Durán.

Segundo a EFE, 82,2 por cento do total de infectados nos últimos 15 dias foram assintomáticos, um comportamento que "complica" a luta contra o vírus, disse Durán, na conferência diária na televisão, citado pela EFE.

Os novos pacientes foram detetados em 4.603 amostras de PCR, elevando o total desses exames realizados no país para 324.043, complementados com milhares de 'kits' rápidos.

Permanecem hospitalizados 1.544 pacientes, dos quais três estão em estado crítico, um em estado grave e os restantes com evolução estável.

O número de mortes pelo novo coronavírus permanece em 88, depois de o Ministério da Saúde ter retificado o seu relatório esta semana.

A ilha inteira, excepto Havana e Matanzas, começou a desaceleração de novos casos no final de Junho.

Atualmente, apenas Havana permanece na fase 0 ou "estágio de transmissão autóctone limitada", o que implica fortes medidas restritivas como a suspensão do transporte público, a limitação de entrada e saída da cidade, o encerramento da maioria serviços e uso obrigatório da máscara fora das residências.

Embora o confinamento obrigatório nunca tenha sido decretado, as autoridades pedem aos habitantes de Havana que saiam apenas quando necessário, existindo multas elevadas para quem não cumprir as disposições oficiais.

Na capital, não será reiniciada a escola no próximo mês de setembro conforme previsto, calendário que será mantido nas demais províncias, anunciou esta sexta-feira a ministra da Educação, Ena Elsa Velázquez.

Tempo

Multimédia