Mundo

Cuba perde milhões de dólares com o bloqueio económico

O ministro cubano da Saúde Pública, José Ángel Portal, denunciou, através da sua conta da rede social Twitter, o impacto negativo do bloqueio económico, comercial e financeiro dos Estados Unidos, imposto ao país há quase 60 anos.

As autoridades cubanas apresentam a 6 de na ONU informações sobre os resultados negativos provocados pelo bloqueio entre Abril de 2018 e Março deste ano
Fotografia: DR

José Àngel informou que o sector da Saúde Pública foi um dos mais afectados pelo embargo, com prejuízos calculados em mais de 100 milhões de dólares só em um ano.

“Entre Abril de 2018 e Março deste ano, o bloqueio imposto pelos EUA ao sector da Saúde foi calculado em 104.148.178 dólares, cifra que supera em 6.123.498 dólares em perdas do ano anterior”, escreveu o titular da Saúde Pública cubano.

Numa outra mensagem, o ministro cubano da Saúde Pública explicou que, entre Abril e Março deste ano, a empresa importadora e exportadora cubana de equipamentos médicos Medicuba SA fez solicitações a 57 companhias norte-americanas para aquisição de insumos médicos para o sector.

Segundo dados oficiais, desde 1962 até hoje, o bloqueio económico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos provocou perdas de cerca de três mil milhões de dólares ao sector sanitário da ilha.

Os dados indicam, de acordo com o ministro, a necessidade de colocar-se fim à medida. Para denunciar mais uma vez este acto, as autoridades cubanas apresentam, no dia seis de Novembro na Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque, EUA, informações detalhadas sobre os resultados negativos provocados pelo bloqueio entre Abril de 2018 e Março deste ano, no sector da Saúde.

No balanço, o Governo especifica que os danos acumulados de 1961 a 2019, a preços correntes, estão avaliados em 138.843.400 mil dólares. Em nove de Outubro, entraram em vigor novas medidas com vista a travar a entrada de divisas no país.

O Departamento do Tesouro norte-americano cortou as remessas financeiras a funcionários do Governo cubanos e do partido e seus familiares.

O Governo dos EUA proibiu também o envio de doações em dinheiro a certas pessoas ou a organizações não governamentais e eliminaram as transacções conhecidas como U-turn, que são transferências de fundos que passam através de bancos norte-americanos.

 

 

 

 

 

Tempo

Multimédia