Mundo

Detido grupo de militares revoltado contra Maduro

As Forças Armadas da Venezuela anunciaram ontem a detenção de um grupo de militares que horas antes divulgou um vídeo apelando à população para não reconhecer o Governo do Presidente Nicolas Maduro.

Em comunicado, as Forças Armadas afirmam tratar-se de um “ reduzido número” de militares da Guarda Nacional e acusam-nos do roubo de um lote de armas de guerra, durante a madrugada, e do sequestro de quatro militares.
A operação permitiu “recuperar armas roubadas e, neste momento, os indivíduos estão a prestar declarações aos serviços de informações e à justiça militar”, afirma no comunicado o ministro da Defesa, general Vladimir Padrino.
“Somos soldados profissionais da Guarda Nacional, opositores deste regime, que repudiamos completamente, e precisamos do vosso apoio, saiam à rua”, declarou no vídeo um homem que se identificou como sargento Armando Figueroa, da Guarda Nacional.
O vídeo foi divulgado em redes sociais. O apelo foi aparentemente respondido num bairro pobre de Caracas, Cotiza, onde ao princípio da manhã um grupo de populares se manifestou, batendo em tachos e panelas e lançando pedras a polícias que estavam junto de uma esquadra.

Tempo

Multimédia