Mundo

Domingo marcado por mais violência

O domingo na Nicarágua foi de grande tensão, com novos protestos reprimidos pelo Governo, com mais mortes e feridos. O bispo de Esteli, D. Abelardo Mata, escapou ileso de um ataque a tiros por parte de supostos para-militares.

Numa demonstração de força para tentar retomar o controlo da situação no país, o Governo de Daniel Ortega lançou na madrugada de domingo a “Operação Limpeza”, uma ofensiva para remover barricadas de ruas e estradas em cinco cidades. Há inúmeras denúncias de detenções ilegais. Dez pessoas foram mortas e há dezenas de feridos, segundo a Rádio Vaticano. O veículo que transportava D. Mata foi alvejado quando o prelado regressava a Manágua vindo de Tisma, onde estava em missão pastoral. O atentado ocorreu em Nindirí, província de Masaya, 25 quilómetros a sul da capital, área sob o controlo de forças para-militares e policiais, denunciaram organizações locais de direitos humanos. O bispo e o motorista procuraram abrigo na casa de uma família das redondezas.
A Catedral de Manágua teve que fechar as portas diante do rumor de que poderia ser invadida por forças sandinistas, a exemplo do que tinha acontecido na segunda-feira da semana passada em Diriamba, quando bispos foram agredidos na Basílica de São Sebastião. Missas em várias paróquias foram suspensas.
O cardeal Leopoldo José Brenes, denunciou que um grupo de agentes da Polícia e para-militares entraram no domingo na casa paroquial do município de Catarina, Departamento de Masaya, revistando o local e levando alguns pertences da paróquia e do sacerdote.

Tempo

Multimédia