Mundo

Economista quer para África direito de imprimir dinheiro

O economista Carlos Lopes considera que países como Nigéria ou África do Sul deveriam ter o "direito de tiragem" do Fundo Monetário Internacional (FMI), equivalente à impressão de dinheiro, sem risco de inflação.

Fotografia: DR

O continente africano en-frenta a maior crise económica dos últimos 30 anos devido à "tempestade perfeita", agravada pela pandemia da Covid-19. Neste momento, segundo as contas do economista guineense Carlos Lopes, África precisa de 200 mil mi-lhões de dólares para estimular a economia e terá uma recuperação débil em 2021.

No domingo, o Presidente em exercício da União Africana (UA), o Chefe de Estado da África do Sul, Cyril Ramaphosa, defendeu que a suspensão dos pagamentos da dívida deve vigorar durante dois anos e não apenas até Dezembro. Na reunião, por video-conferência, com os Presidentes de Angola e de Moçambique, além de outros membros da região, Ramaphosa avaliou as medidas financeiras que foram tomadas nas últimas semanas e defendeu a permissão de os Estados acederem aos Direitos Especiais de Saque do FMI, ou seja, às reservas financeiras do próprio Fundo.

Tempo

Multimédia