Mundo

Empregos garantidos a jovens

Mais de 400 representantes dos jovens, do mundo empresarial, de educadores e decisores políticos de 44 países de todo o continente africano e parceiros europeus reivindicaram, em Addis Abeba, a melhoria das perspectivas de emprego da Juventude Africana através de educação orientada para o emprego e desenvolvimento de competências.

Empresários e políticos analisaram em Addis Abeba as saídas para empregar jovens
Fotografia: João Gomes | Edições Novembro

A reivindicação foi feita na conferência “Africa Talk Jobs” (ATJ), realizada na sede da Comissão da União Africana, em Addis Abeba. As recomendações surgidas na conferência vão ser apresentadas na 5ª Cimeira União Africana - União Europeia em Abidjan (Costa do Marfim).
As recomendações pedem uma participação mais forte da comunidade empresarial africana para proporcionar oportunidades para a formação de competências e ofertas em parceria com instituições educativas. Os governos devem proporcionar os enquadramentos necessários, assim como condições favoráveis para os jovens empreendedores.
Ao mesmo tempo, a educação a todos os níveis e as actividades para os jovens devem ser melhor direccionadas para as necessidades do mercado de trabalho e para dotar a juventude de competências que lhes permitam iniciar as suas próprias empresas. Incluída no comunicado está também a reivindicação para garantir o reconhecimento de graus e outras qualificações em todo o continente, de modo a permitir a migração laboral voluntária.
As recomendações foram entregues à comissária para os Recursos Humanos, Ciência e Tecnologia da União Africana, Sarah Anyang Agbor, e ao chefe da delegação da União Europeia, Ranieri Sabatucci, que as irão apresentar na  Cimeira União Africana-União Europeia.
Na conferência, 120 empresas e associações empresariais africanas, sob os auspícios da Business África, também se comprometeram a investir no desenvolvimento de competências e de parcerias com instituições educativas para a educação e formação em competências para o emprego.
A Comissária Agbor, da Comissão da União Africana, louvou o compromisso da comunidade empresarial para com os jovens e pediu que mais empresas sigam o exemplo dado para que se possa passar de “Africa Talks Jobs” para “Africa Makes Jobs”.
A conferência foi organizada na sede da Comissão da União Africana (AUC) pela Nova Parceria para o Desenvolvimento em África (NEPAD) e pela organização continental de coordenação para o sector privado - Business África. Para apoiar o compromisso da comunidade empresarial, a AUC, a NEPAD e a Business África assinaram uma declaração de compromisso para impulsionar o papel da comunidade empresarial em parcerias com a educação e a criação de empregos.
A conferência foi apoiada pela União Europeia e pela Alemanha. Stefan Oswald, director para a África Subsaariana do Ministério Alemão para a Cooperação Económica e o Desenvolvimento, destacou que os empregos são maioritariamente criados pelo sector privado, não pelos governos. “Aplaudimos o compromisso da comunidade empresarial. Esta é uma importante mudança de paradigma”, sublinhou.

Tempo

Multimédia