Mundo

Epidemia de sarampo causa 115 mil mortes no Madagáscar

Mais de 1.200 pessoas morreram no Madagáscar, vítimas de um surto de sarampo dos pelo menos 115 mil casos já registados desde Setembro do ano passado, naquela que é uma das maiores epidemias dos últimos tempos de uma doença viral que pode ser evitada com uma vacina.

Fotografia: DR

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a maior parte das vítimas tem menos de 15 anos. Em Madagáscar, apenas 58 por cento da população é vacinada contra o sarampo. De acordo com a OMS, porém, para que a prevenção da doença seja eficaz e haja uma alta cobertura de imunização, 95 por cento da população deveria ter tomado a vacina.
“Infelizmente, a epidemia continua a expandir-se “, embora num ritmo mais lento do que há um mês, disse Dossou Vincent Sodjinou, um epidemiologista da OMS em Madagáscar. Algumas famílias no país resistem em vacinar as suas crianças por influência da religião ou de discursos ideológicos de profissionais da Saúde. Segundo Sodjinou, contudo, casos como esses são isolados. Na maior parte de África, a falta de vacinação está ligada à falta de acesso à saúde.

Tempo

Multimédia