Mundo

Erupção de vulcão provoca 25 mortos

Pelo menos 25 pessoas morreram domingo na sequência da erupção do Vulcão de Fogo na Guatemala, que expeliu grandes colunas de fumo e fragmentos e obrigou as autoridades a ordenar a saída de milhares de moradores de suas casas.

Torrentes de lava vulcânica atingiram temperaturas de mais de 700 graus Celsius
Fotografia: DR

O Vulcão de Fogo provocou as mortes em várias comunidades localizadas na margem sul do monte, anunciou o porta-voz da Comissão Nacional para a Redução de Desastres (Conred), David de León.
A Conred afirmou que até ontem foram registadas 25 mortes, 20 feridos, quase 3.200 retiradas de suas casas e 1.100 pessoas levadas para abrigos nos departamentos de Escuintla (sul) e Sacatepéquez (oeste), que ao lado de Chimaltenango (oeste) são os mais afectados pela erupção.
“Se desta vez nos salvamos, em outra (erupção) não”, disse à France Press Efraín González, de 52 anos, levado para um abrigo de Escuintla, com a esposa e a filha de um ano.
O desespero toma conta de González, pois o filho de 10 anos e a filha de 4 do casal são dados como desaparecidos. A casa da família foi atingida pela lava do vulcão, de 3.763 metros de altura e que emitiu colunas de cinza de quase 6.000 metros de altura.
Segundo as autoridades, as torrentes de lava atingiram temperaturas de cerca de 700 graus Celsius.
Imagens exibidas na televisão e divulgadas nas redes sociais mostram corpos carbonizados no chão, assim como veículos e casas destruídas pelas torrentes de lava do vulcão.
O secretário da Conred, Sergio Cabañas, afirmou que as vítimas fatais foram arrastadas pela lava que desceu do monte, situado a 35 km da capital.
A erupção acabou após 16 horas e meia de actividade, mas existe a probabilidade de retomada, afirmou o Instituto de Vulcanologia, que recomendou medidas de precaução.
O Presidente Jimmy Morales decretou três dias de luto e estado de emergência ou calamidade em Escuintla, Sacatepéquez e Chimaltenango, mas a medida precisa ser ratificada pelo Congresso. O Grupo de Doadores, integrado por Alemanha, Canadá, Espanha, Estados Unidos, Reino Unido, Itália, Suécia, Suíça, França, União Europeia, além do Banco Inter-americano de Desenvolvimento, Banco Mundial, Fundo Monetário Internacional, Organização dos Estados Americanos e o sistema da ONU na Guatemala, expressou solidariedade e apoio para o país superar a tragédia.
A chuva de cinzas provocada pelo vulcão levou à interrupção das operações no aeroporto internacional “La Aurora”, na capital, inicialmente por 24 horas, informou a Direcção Geral de Aeronáutica Civil.
O Vulcão de Fogo, localizado entre os departamentos (província) de Escuintla, Sacatepéquez e Chimaltenango, registou a sua primeira erupção de 2018 em Janeiro.
Em Setembro de 2012, provocou a última emergência por erupção no país, o que resultou na retirada de 10 mil habitantes localizados em áreas a sul do vulcão.

Tempo

Multimédia